O ransomware, ou sequestro virtual de equipamento, é uma técnica cada vez mais utilizada pelos cibercriminosos para extrair dinheiro de suas vítimas. Em geral, o golpe restringe o acesso ao sistema infectado e cobra o valor de “resgate” para que o acesso possa ser reestabelecido.
 
De olho no crescimento desse malware, especialistas em segurança da Eset, fornecedora de soluções de segurança da informação, dá dicas sobre medidas que podem ser colocadas em prática para não se tornarem a próxima vítima de um ransomware.
 
1. Fazer backup periódico dos dados
Ao adotar o procedimento, não será um grande problema perder as informações da máquina. É importante lembrar que o Cryptolocker, um tipo ransomware, também criptografa arquivos em unidades de rede mapeadas. Isso inclui todas as unidades externas, como pen drives, espaços de armazenamento na rede ou em nuvem, para a qual existe uma letra de unidade atribuída. 
 
2. Mostrar as extensões ocultas dos arquivos
É muito comum que o Cryptolocker se apresente como arquivo com dupla extensão, como “PDF.EXE”. Portanto, se a função é desligada para ocultar as extensões dos tipos de arquivo, será mais difícil detectar suspeitos.
 
3. Filtrar os arquivos .EXE de correio eletrônico
Se o seu sistema tem uma ferramenta que permite filtrar anexos por extensão, é útil configurá-lo para rejeitar e-mails que tenham arquivos “EXE” ou extensão dupla.
 
4. Use o kit para prevenir Cryptolocker
O kit de prevenção de Cryptolocker é a criação de uma política de grupo para desativar arquivos em execução. Além disso, desativa os executáveis que se abrem a partir do diretório Temp de diversos utilitários para compactar arquivos.
 
5. Desativar RDP
O malware Cryptolocker/Filecoder acessa as máquinas mediante o Protocolo de escritório remoto (RDP, em inglês), unidade de Windows que permite o acesso a máquinas de um escritório de forma remota. Se não for preciso usar o protocolo RDP, é conveniente desabilitá-lo para proteger a máquina de Filecoder e outros exploits RDP.
 
6. Mantenha o software do equipamento sempre atualizado
Atualizar o software com frequência reduz significativamente a possibilidade de se tornar vítima de um ransomware, bem como de outras ameaças.
 
7. Use um software de segurança confiável
Tenha um software antimalware e um firewall que ajudem a identificar ameaças ou comportamento suspeito e o configure com senha, já que uma das ações do malware antes de infectar o equipamento é desabilitar o software de segurança. Além disso, os cibercriminosos frequentemente lançam novas variáveis para evitar a detecção, por isso é importante ter as duas camadas de proteção.
 
8. Desligue o Wi-Fi ou remova o cabo de energia imediatamente
Se um arquivo que pode ser um ransomware é executado, mas a exibição característica de resgate de equipamentos não é exibida, você pode parar a comunicação com o servidor C&C (Comando e Controle) antes de terminar a criptografia dos arquivos, também é importante desligar o computador imediatamente direto pelo cabo de energia.
 
9. Use o recurso Restauração do sistema para reverter a um estado sem infecção
Se “System Restore” está habilitado no seu computador com Windows, é possível voltar a um estado sem infecções.